Há mais Abril

Os Capitães de
Abril regressaram finalmente à casa da democracia. À casa que eles ajudaram a
preencher com a Liberdade que nos conquistaram. E isso quer dizer muito. Quer
dizer que há mudança. Quer dizer que lutámos e conseguimos um bocadinho mais de
Liberdade. Quer dizer que vale a pena celebrar Abril, porque Abril conquista-se
todos os dias, em cada palavra, em cada gesto em que nos assumimos como povo
livre e soberano.
Neste 2016, há
mais Abril. Há um Presidente com um cravo, há mais Constituição, há direitos
repostos. Há valores brotando dos discursos dos jovens, porque foi também para
eles que se fez Abril e porque é deles o Abril do futuro.
A Avenida da
Liberdade voltou a encher-se de gente. Muita gente. Com rostos emocionados,
porque a memória da Revolução continua a arrancar sorrisos e lágrimas. E porque
é preciso lembrar, para que o tempo não faça esquecer que os direitos
conquistam-se. E as conquistas fazem-se lutando. Ainda hoje há quem pise os
cravos: os que se orgulham e renovam os votos contra a Constituição, os que
revisitam o salazarismo bafiento, os que teimam em não aplaudir os Capitães de
Abril, mantendo para eles fechadas as portas da Democracia.
Ainda hoje há
quem pise os cravos. Mas não esmaga o povo que os brande de punho cerrado. Os
valores de Abril continuam vivos no coração e na razão de gente de todas as
idades. Em 2016 há um bocadinho mais de Abril. E cá estamos para o Abril ainda
por fazer.