É urgente não esquecer Abril

São quarenta
e três anos. Quarenta e três anos de memórias, de comemorações, de renovações,
que todos os anos celebramos, ano após ano. Mas, nos tempos que correm, é cada
vez mais urgente lembrar o 25 de Abril.
O populismo
avança sobre o mundo, cobrindo-o com o seu manto negro. Os radicalismos secam a
moderação e o bom senso. Os senhores da guerra jogam o seu xadrez, ceifando
vidas e colhendo interesses. Os tiranos destroem um país e um povo da forma
mais desprezível e cruel de todas. O Mediterrâneo chora os mortos que a Europa
escorraça do mundo dos vivos. Os europeus encolhem-se com medo de um inimigo
sem rosto e voltam costas uns aos outros e à liberdade. E nós tornamo-nos
escravos do trabalho sem direitos e de abstratos Mercados.
Liberdade.
Palavra que foi o mote daquele dia 25 de Abril. Palavra que vivemos nestes 43
anos. Palavra que se conquista diariamente, porque não podemos esquecer.